X
Publicidade

Sabia que brotos são super nutritivos e fáceis de produzir?

Uma boa ideia pra quem quer aproveitar a quarentena para se dedicar à terra e a produzir seu próprio alimento. Quem dá a dica é a agrônoma aldeiense Simone Miranda.

today 27/05/2020
Simone Miranda
timer 3 min de leitura

A produção de brotos é uma técnica simples de cultivo de sementes comestíveis em ambiente fechado, sem precisar de terra. Uma boa alternativa para quem não tem espaço para cultivo, possibilitando a produção de vegetais orgânicos para consumo diário. O consumo de brotos na alimentação é hábito comum entre os japoneses e chineses, difundido no Brasil através dos imigrantes orientais, foi bem aceito e propagado por aqui. O ‘moyashi’, como também é conhecido, é a variedade de feijão mais utilizada para a produção de brotos. No processo de produção dos brotos também podem ser utilizadas sementes de outras espécies de feijão, tipo o feijão Guandú ou o Macassa, quanto mais tenra a semente melhor, mas não utilizar feijões adquiridos de produção convencional. Sementes de outras espécies vegetais também resultam em deliciosos brotos, como girassol, alface, rúcula, rabanete, lentilha, entre outras.

Os brotos são um alimento de grande valor nutritivo, leve e de fácil digestão. Tem vitaminas B, proteínas, cálcio, fósforo e ferro. Pode ser consumido de diversas formas: sozinho em saladas ou misturado a outros vegetais; levemente refogado; em sopas; à moda chinesa, misturado a pratos de macarrão, compondo sanduíches etc.

Para produzir em casa é prático, fácil e fica pronto para consumo em cinco dias. Sem necessidade de luz solar direta e de grandes espaços, o principal cuidado na produção de brotos é com as sementes. É preciso se assegurar de que as sementes estão LIVRES DE AGROTÓXICOS, caso contrário você estará comendo veneno em potencial, pois o efeito residual ainda estará latente na semente. Ressaltado isto, caso não tenha nenhuma semente em casa para produção de seu broto, é possível adquirir as sementes direto com agricultor/a orgânico (caso conheça algum/a) ou em lojas de sementes (agropecuária), envelopes de sementes para produção de brotos, livres de agrotóxicos (observar esta especificação na embalagem).


A técnica: escolha e lave bem o feijão (ou qualquer outra espécie que tenha preferido), retirando os quebrados, machucados e murchos. Despeje em um vidro bem limpo e de boca larga ou em uma vasilha de louça até ¼ de altura. Cubra com gaze esterilizada ou pano de saco de farinha (previamente escaldado em água fervente, para esterilizar e impedir o desenvolvimento de microrganismos). Prenda a gaze ou o pano com um elástico. Coloque dois copos de água filtrada para cada colher de semente. Use água mineral, ou uma água pura, sem flúor ou cloro. Deixe de molho por oito horas. Escorra a água e deixe o vidro em posição inclinada em um local escuro e ventilado.

Molhe três vezes por dia com água filtrada, escorrendo a seguir. O pano deve ficar sempre umedecido, para proporcionar a germinação.

No quarto dia, coloque o vidro em local iluminado, mas não no sol, para que os brotos fiquem verdinhos.

A partir do quarto ou quinto dia, quando os brotos tiverem cinco centímetros de comprimento, eles já estão prontos para o consumo.

Há quem prefira deixa-los crescer até 25 centímetros. Por fim, lave em água gelada. Se não for comer logo, guarde na geladeira em uma vasilha coberta com plástico com furos.

Transformado em broto, o feijão aumenta de volume seis a sete vezes. Portanto, 100 gramas de grãos rendem uma porção suficiente para quatro pessoas. Temperaturas mais amenas são mais favoráveis para a produção de brotos.

Fica a dica para quem deseja produzir algo para seu próprio consumo e tem pouco espaço disponível: a produção de brotos! 

Simone Miranda é agrônoma pós-graduada em Agroecologia


Publicidade
Publicidade