X
Publicidade

Tem aparecido serpente na sua casa? Saiba o que fazer.

O estudante de Ciências Biológicas Romero Santos, aldeiense, é um apaixonado por serpentes. Ele nos conta neste artigo a importância desses animais para o ecossistema, quais são as espécies mais perigosas e o que fazer se aparecer na sua casa.

today 08/06/2020
Romero Santos
timer 3 min de leitura

Você já pensou por que estão aparecendo tantas serpentes em Aldeia? É que estamos no período reprodutivo desses animais fantásticos e, com a grande quantidade de condomínios e residências, não só esses, mas muitos outros animais vêm perdendo seu habitat natural devido à supressão vegetal para a construção civil, plantio de capim para equinos, entre outras atividades que vêm gerando impactos ambientais.


São animais injustiçados por falta de conhecimento e culturas antigas, animais que em algumas religiões são vistos como demônios. Isso me fez tentar protegê-las e tentar conscientizar as pessoas de que elas fazem parte do meio ambiente, e sua falta gera um desequilíbrio na nossa fauna. São animais fantásticos, e são como guarda-chuvas ambientais. A partir do momento que protejo uma serpente, estou protegendo toda a biodiversidade do entorno, já que se alimentam de ratos, lagartos, pássaros, anfíbios e outras serpentes.

Os quatro grupos de serpentes de interesse médico que podem causar acidentes com pessoas são: as corais verdadeiras, as jararacas, as cascavéis e, a maior de todas, a surucucu pico-de-jaca (animal ameaçado de extinção e que tem em todo o Brasil. O maior número de exemplares em vida livre está aqui em Aldeia). 

Vou tentar responder as perguntas mais frequentes que me fazem:

Como evitar esses animais? 

As serpentes se alimentam em grande maioria de roedores. Ratos que se abrigam nas casas onde encontram entulhos, restos de comidas ou ração animal atraem serpentes, que são suas predadoras. Deve-se manter o lixo fechado e não acumular entulhos no quintal, como restos de madeiras ou material de construção. 


Apareceu uma serpente na minha casa. O que fazer? 

Temos três órgãos ambientais que atuam fazendo resgates desses animais aqui em Aldeia, além de pessoas aptas a fazer. Brigada Ambiental de Camaragibe (telefone 153), Cipoma e Corpo de Bombeiros. 

Fui picado por uma serpente. O que devo fazer? 

Primeiro mantenha a calma e procure o Centro de Assistência Toxicológica (Ceatox), no Hospital da Restauração, único centro que oferece o soro antiofídico na Região Metropolitana do Recife. Se possível, mantenha o membro afetado acima do nível do corpo numa posição confortável. Hidrate-se com pequenos goles de água e lave o local afetado com água e sabão. 


O que não devo fazer? 

Não fure o local da picada, não tente chupar o veneno, não faça a ingestão de álcool ou remédio caseiro, não passe nada no local afetado além de água e sabão neutro, não faça torniquete ou garrote, pois isso só vai agravar a situação e acumular a toxina em um único local, podendo gerar uma necrose.

Não mate a serpente. Segundo a Lei federal n° 9.605, de 12 de fevereiro de 1998, “matar, perseguir, caçar, apanhar, utilizar espécimes da fauna silvestre, nativos ou em rota migratória, sem a devida permissão, licença ou autorização da autoridade competente, ou em desacordo com a obtida” é crime sujeito a pena de detenção de seis meses a um ano, e multa.

A foto principal é de uma jibóia (Boa constrictor constrictor), uma das espécies que ocorrem em quase todos os estados brasileiros. Muito encontrada aqui em Aldeia também, é um animal que não tem toxina, por isso não causa danos além da mordida.

Romero Santos é estudante de Ciências Biológicas


Publicidade
Publicidade