X
Publicidade

Reaproveite seu óleo de cozinha usado. Doe para as crianças do Rachão

Com apenas um mês de coleta e recebimento, a professora Elany Salvino Bezerra, que coordena o projeto na escola, comemora os primeiros 500 litros de óleo doados.

today 25/10/2017
Tatiana Portela
timer 2 min de leitura

Alunos da Escola São José, no Rachão (comunidade de Aldeia que fica dentro do Vera Cruz, no km 10), estão transformando óleo de cozinha usado em sabão para lavar louça. Além de exercer uma atividade ecológica, ao evitar o descarte incorreto do material na natureza, eles ainda arrecadam uma pequena renda que os ajuda a manter a horta da escola e a comprar materiais didáticos. 

José William, 13 anos, é um dos 28 alunos do 6º ano que participam do projeto “O que frita, também limpa”, criado este ano pela escola. É ele quem explica que antes de tudo foi feita uma pesquisa com os moradores da comunidade para saber que destino as pessoas davam ao óleo usado na cozinha. Para isso, os próprios alunos visitaram residências e pequenos comércios e a conclusão a que chegaram foi de que a maioria descartava o óleo no mato (ou no solo), no esgoto ou no lixo. 

“A gente começou a explicar para os moradores que isso estava errado, pois o óleo contamina o solo e não tem como ser retirado depois. E fomos falando do nosso projeto e pedindo que as pessoas juntassem seu material em garrafas pets para nos doar”, conta William. 

Com apenas um mês de coleta e recebimento, a professora Elany Salvino Bezerra, que coordena o projeto na escola, comemora os primeiros 500 litros de óleo doados. “A receptividade da população foi muito boa, todo mundo quer ajudar. E o envolvimento dos alunos tem nos surpreendido ainda mais. Muitos deles tomam a iniciativa de bater na porta dos comerciantes atrás de novas parcerias”, explica. 

A professora Elane, orgulhosa, mostra o sabão produzido a partir do óleo reutilizado

 A professora Elany, orgulhosa, mostra o sabão produzido a partir do óleo reutilizado[/caption] Segundo a professora, com um litro de óleo é possível produzir até dez barras de sabão neutro, que são vendidas a 1 real cada. Futuramente, ela revela, a ideia é ampliar a produção – quem sabe até criar uma cooperativa – e passar a confeccionar também sabões perfumados e sabão líquido.

Habilidades

Larissa e José William mostram as garrafas pets com os rótulos que os alunos confeccionaram
 Larissa e José William mostram as garrafas pets com os rótulos que os alunos confeccionaram.

Larissa Gomes, 15 anos, é uma das alunas que abraçaram o projeto e sai pela comunidade procurando apoio. Ela lembra que em sala de aula foi criado um rótulo para as garrafas pets (também recolhidas na comunidade e distribuídas para quem quer ajudar), folhetos explicando a importância da reciclagem do óleo e etiquetas para as embalagens do sabão. 

“Nós participamos de todos os momentos. Na hora da produção, cada um fica com a parte que mais gosta: uns gostam de juntar os ingredientes, outros de mexer a mistura, outros de colocar na fôrma, e há quem prefira cortar o sabão ou embalar”, diz Larissa. “Cada um explora suas habilidades”, completa a professora Elany. 

Quem quiser ajudar a campanha de aproveitamento de óleo usado, é só levar o material numa garrafa pet bem fechada para a Escola São José ou para a Galeria Aldeia Boulevard, no km 10, que também está apoiando o projeto. Mais informações com a professora Elany no 3459-3727.

Publicidade
Publicidade